Quer aprender como escrever uma resenha nota dez de forma rápida? Eu vou te ensinar.

Hoje eu me considero um mestre em resenhas, mas já passei por maus bocados.

Em minha segunda semana de aula na faculdade, quando eu só queria saber de festa, o professor de fotojornalismo me pediu uma resenha sobre um filme documentário. Eu quase larguei o curso.

Mas sobrevivi pra te ensinar todos os macetes das resenhas que encantam docentes e trazem aplausos para os alunos.

Eu não sou o saudoso Goulart de Andrade, mas vem comigo que eu vou te mostrar como escrever uma resenha crítica perfeita que vai te levar ao olimpo.

O que é uma resenha?

De forma bem clara e direta, a resenha é um gênero textual.

Seu objetivo é transmitir a opinião de seu autor sobre um conteúdo específico, que pode ser um:

  • artigo científico
  • livro
  • peça de teatro
  • filme etc.

Diferente do resumo, que tem como função sintetizar os principais pontos sobre um conteúdo, a resenha tem a missão de analisar a produção e o seu contexto, características estéticas, intenções do autor, entre outros aspectos que fazem parte da obra.

Nela, são destacados os tópicos considerados relevantes de acordo com o tipo da resenha, que pode ser crítica, descritiva ou literária.

Por isso, há sempre uma análise e um julgamento de verdade ou valor sobre o conteúdo. Afinal, a resenha representa o ponto de vista de seu autor.

Tipos de resenha

como fazer resenha nota 10

Existem três tipos de principais resenha, cada um com suas particularidades. O que há em comum em todos eles é a objetividade e clareza textual.

Veja quais são os tipos de resenha mais solicitados nas faculdades:

Resenha crítica

Também conhecida como resenha acadêmica, ela tem etapas mais rígidas a serem seguidas devido ao seu caráter científico.

Ela deve trazer:

  • identificação bibliográfica da obra que será resenhada
  • introdução sobre o conteúdo ao leitor
  • descrição da estrutura da obra (número de páginas, capítulos etc.)
  • descrição do conteúdo
  • argumentos críticos do autor da resenha com embasamento.

Resenha descritiva

Esse tipo de resenha segue as mesmas indicações da resenha crítica, porém, não apresenta um posicionamento em relação ao conteúdo. Afinal, como o próprio nome indica, ela apenas descreve a os principais aspectos obra resenhada. Tem uma leve semelhança com o resumo, porém é mais técnica.

Resenha literária

Esta resenha tem o objetivo de analisar os elementos de destaque de uma obra literária ou artística e, com isso, divulgar o conteúdo da obra resenhada. As etapas de produção são semelhantes às da resenha crítica. Porém, com foco no gênero literário e com a devida contextualização daquela obra com sua escola de estilo.

Também podem ser publicada em revistas culturais, sites, blogs etc.

Como fazer uma resenha

exemplos de resenha

Agora que você já sabe as diferenças entre os três tipos de resenha, está na hora de colocar a mão na massa para produzir a sua.

Veja as dicas a seguir para elaborar o seu roteiro:

Antes de escrever a resenha

1. Faça um mapa mental

Imagine a estrutura de sua resenha, onde pretende começar e onde pretende chegar, quais argumentos irá usar. Isso ajudará a construir seu trabalho de forma lógica e eficaz.

2. Tome notas

Identifique os pontos positivos da obra, insights relevantes e também as possíveis contradições e lacunas deixadas pelo autor. Use seu background e outras informações teóricas para fazer essa análise.

3. Tire dúvidas

Anote todos os termos que você não entende e faça uma busca detalhada de cada um deles. Isso é fundamental para compreender a obra e evitar lacunas de informação ou lógica.

4. Revise

Leu todo o livro? Viu o filme por completo? Agora, faça tudo isso de novo! Para fazer uma resenha boa de verdade é fundamental analisar a obra mais de uma vez. Esse é o momento de conferir se você não deixou passar nenhum detalhe.

5. Use suas palavras

Faça um resumo do artigo com as suas palavras, de acordo com sua interpretação. Este processo ajuda a compreender melhor o conteúdo.

Acredite, estes passos são meio caminho andado para o seu dez.

E uma vez que você aprende esta técnica, vai conseguir aplicá-la cada vez mais rápido.

Feito isso, agora sim você está pronto para começar a escrever a sua resenha!

Hora de escrever a resenha

1. Crie um título

Ele pode ser declarativo, descritivo ou interrogativo. O mais importante é que deve sintetizar sua análise. Não se preocupe se o primeiro não ficar bom, ele poderá ser alterado no fim.

2. Apresente a obra

Comece sua resenha indicando todos os dados biográficos da obra, como título, autor, ano, edição etc. Isso é fundamental para localizar seu leitor.

3. Destaque o principal

Na introdução, fale sobre os temas centrais da obra e principais argumentos do autor. Este também é o espaço para deixar clara a tese do autor e introduzir a sua tese de análise.

4. Resuma a obra

Durante o desenvolvimento de sua argumentação, avalie a contribuição da obra para seu campo de estudos e apresente suas descobertas em relação ao conteúdo.

5. Faça seus comentários

Reúna suas críticas e elogios e amarre todas de forma consistente. Lembre-se que ela deve estar embasada na própria obra ou em outras fontes acadêmicas ou obras. Aqui não cabem achismos!

6. Faça a conclusão

Conclua sua resenha com um parágrafo que resuma os principais pontos do artigo, bem como suas opiniões sobre seu significado. Seja claro e objetivo do começo ao fim. Este trecho deve tomar 10% da sua resenha.

7. Revise

Antes de entregar a versão final, releia e revise toda a resenha buscando erros gramaticais e lacunas dos seus argumentos. Não deixe passar nada!

Dicas para uma resenha nota 10

como fazer uma resenha descritiva

Agora que você já conhece todos os recursos técnicos para fazer uma boa resenha, vamos ver algumas dicas que farão seu trabalho receber um dez. Esta é a hora de dar aquele talento no seu trabalho.

  1. Se a resenha for sobre um livro, faça a leitura cuidadosamente. Se for de um filme, assista com atenção e, se possível, mais de uma vez. Durante essa etapa, faça anotações. Elas vão compor as análises para a sua resenha;
  2. Identifique o argumento principal do autor e os temas abordados; veja como eles são trabalhados ao longo da obra;
  3. Organize e registre todas as informações bibliográficas: nome do autor, título completo, local da publicação, editor, edição, editora, data de publicação, paginação e valor de mercado. Professores valorizam alunos que fazem o trabalho completo. O Google Acadêmico pode ser útil nesta tarefa.
  4. Uma das partes mais importantes é a introdução. Separe uns dois parágrafos para ela – faça parágrafos curtos – e comece avaliando a obra de forma geral. Não seja taxativo ou raso falando que o livro é bom ou ruim.
  5. Em seguida, desenvolva a análise da obra descrevendo o conteúdo e argumentando sobre ele sempre mostrando evidências para embasar seu ponto de vista. Para finalizar, conclua sua análise fechando raciocínio. Seja objetivo e coerente.

Segredos para uma resenha crítica suprema

Se você seguiu todos estes passos e acha que a sua resenha ainda está 8,5, segue agora uma sequência de perguntas que farão ela receber um “dez parabéns”.

Responda-as antes de começar a elaborar o seu texto e o seu caminho para o sucesso será muito mais fácil.

Análise do conteúdo

  • Qual é o principal argumento do autor? Quais são as suas conclusões?
  • O que o autor escolhe enfatizar?
  • A apresentação do autor contradiz ou refuta interpretações alternativas?
  • Quais métodos de análise o autor emprega?
  • Que tipo de evidência o autor emprega?
  • Quem é o autor? Ele está qualificado para escrever este trabalho?
  • Quando o trabalho foi escrito? Quanto relevante é hoje?

Avaliação do conteúdo

  • O livro é convincente em estilo e substância? Por que ou por que não?
  • O autor cumpre seu propósito?
  • O autor é justo com seus assuntos, ou o autor é excessivamente tendencioso? O livro é exato ou enganoso?
  • O autor descreve mas não analisa?
  • O autor trata todos os dados disponíveis igualmente bem?
  • Todos os argumentos do livro são igualmente bem aceitos? O livro é prejudicado por generalizações ou especulações?
  • O uso da evidência pelo autor é adequado e convincente?
  • O autor omite possíveis interpretações alternativas? A abordagem do autor é flexível ou é dogmática?
  • O livro é bem organizado? Todas as partes do livro são igualmente bem fundamentadas e desenvolvidas?
  • O livro é bem escrito, ou é de algum modo repetitivo, obscuro ou confuso?
  • Para quem o livro se aplica? Qual público o autor atinge?

Erros comuns ao fazer uma resenha

A lista de perguntas acima estabelecem um roteiro poderoso para a elaboração de uma resenha de qualidade.

Mas mesmo assim ainda existem pegadinhas e lugares comuns nos quais muitas pessoas acabam caindo na hora de elaborar um texto.

Conheça os erros mais comuns e esteja preparado para evitá-los!

  • Dedique tempo suficiente para a pesquisa; não subestime o trabalho de ler e analisar a obra para construir uma resenha consistente.
  • Nunca copie trechos do material resenhado ou de resenhas que já foram feitas sobre a mesma obra. Isso é plágio!
  • Parte fundamental de uma resenha é a sua análise. Sem ela, uma resenha não passa de um resumo.
  • Não se perca na argumentação. Revise todos os questionamentos abertos ao longo do texto e verifique se todos foram bem amarrados.

Exemplo de resenha

O Grande Gatsby: a busca fracassada do sonho americano

Publicado em 1925 e grande obra do americano Francis Scott Fitzgerald, “O Grande Gatsby”, (The Great Gatsby, título original em inglês) se tornou com clássico atemporal, ganhou versões para o cinema, e agora ganha nova edição pelo selo Penguim Clássicos, da Companhia das Letras, com tradução de Vanessa Bárbara.

Em seu enredo, o Grande Gatsby retrata a sociedade de 1920, quando a classe média americana ostentava carros, jóias e relacionamentos superficiais para manter a boa imagem em eventos da alta sociedade, regados a luxo e bebidas.

É neste tipo de ambiente que estão inseridos os personagens da trama. O protagonista, Jay Gatsby, é um homem reconhecido pela sua generosidade e riqueza, e está sempre abrindo as portas de sua mansão em Nova York para grandes festas.

Apesar de sua boa condição financeira, Gatsby é um homem triste, com o único objetivo de conquistar novamente o amor de sua ex-namorada Daisy. É neste ponto que Gatsby ganha a simpatia do leitor, que se comove com sua cruzada amorosa fadada ao fracasso.

A narração da história fica por conta de Nick Carraway, um aristocrata decadente que trabalha como corretor de títulos de valores na metrópole americana e que convive com sua prima, a Daisy, casada com o também aristocrata Tom Buchanan.

Apesar de Nick não ser exatamente um personagem importante para o desenvolvimento da trama, é um observador dos fatos ao seu redor. É a partir do seu gosto de vista que Fitzgerald traça o psicologismo de seus personagens e que tomamos conhecimento da trajetória de Gatsby.

O drama que prende a atenção dos leitores é centrado no conflito entre o dinheiro, o romantismo e a busca do sonho americano – a oposição entre riqueza e amor, típica das obras de Fitzgerald, adiciona um tom ainda mais ácido neste livro.

Ao mesmo tempo, a alternância entre festas luxuosas e conflitos passionais dão um ritmo elétrico à narrativa, que se estende até as últimas páginas do romance.

Mesmo sendo uma obra se quase um século, sua trama se mostra atemporal e suas críticas ainda se aplicam a sociedade contemporânea. Este é o grande mérito que torna “O Grande Gatsby” obrigatório.

Espero que este conteúdo seja útil para o desenvolvimento de suas próximas resenhas.

Se você está sofrendo para começar, respire fundo. É preciso ser resiliente.

Espero que você tire “muitos dez” aos longo de sua vida acadêmica e profissional.

Se este artigo lhe foi útil, recomende para um amigo e deixe sua opinião nos comentários!

Publicado por Vinicius Aguiari

Eu escrevo sobre assuntos interessantes que farão sua vida melhor. Se conecte comigo!