Jon Kabat-Zinn talvez nunca imaginasse que seria considerado o criador do mindfulness. Nascido em família judia e crescido em Manhattan, era mais um cidadão comum nas ruas de Nova Iorque.

Mesmo não sendo budista, Kabat-Zinn começou a praticar a meditação depois de uma palestra do budista zen Philip Kapleau em 1965. Na época, estudava Biologia Molecular no MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Começou a praticar a meditação através da forma Zen, um estado meditativo profundo com origem oriental. E foi aí que iniciou com a prática da meditação da atenção plena.

O insight de 10 segundos que mudou a vida John Kabat-Zinn

A sintonia com o mindfulness foi tanta que, em 1979, teve uma visão de 10 segundos, em um retiro de meditação, que mudou sua vida. Na época, já era médico no MIT.

Parece loucura, mas sua mente foi invadida por um flash. E, em instantes, teve um visão clara de um modelo para levar o mindfulness para o mundo.

Percebeu que a prática da atenção plena poderia funcionar para reduzir a dor física e emocional de seus pacientes. Mas, com receio de parecer apenas um misticismo oriental, retirou o budismo dela.

Então, foi ajudar pacientes que não respondiam a tratamentos convencionais.

O impacto do mindfulness na medicina e no bem-estar coletivo

Com o sucesso dos resultados, criou o Mindfulness Based Stress Reduction (MBSR). Um curso de oito semanas para a redução de tensão em 1979.

Os resultados foram tão positivos que fundou a Stress Reduction Clinic (Clínica de Redução de Estresse) no mesmo hospital universitário.

Com isso, ensinou pessoas a manterem um relacionamento diferente com a dor. Entre elas, vítimas de acidentes industriais, pacientes com câncer e paraplégicos.

O impacto do uso do mindfulness na medicina foi tão forte que chamou a atenção de todo o mundo.

No Brasil, a meditação para atenção plena passou a ser aplicada, inclusive, na saúde pública. A Escola Paulista de Medicina já leva o mindfulness para pacientes do SUS.

E não para por aí. No Reino Unido, estudantes, funcionários públicos, políticos e condenados têm acesso à obra de Jon Kabat-Zinn.

Na Inglaterra, conquistou lugar cativo no NHS (National Health Service). Prescrito para prevenir a depressão, reduz as chances de recorrência de quase um terço dos participantes.

Os ensinamentos de Jon Kabat-Zinn marcaram pontos até entre os campeões de basquete da Golden State Warriors nos Estados Unidos. Isso porque o treinador, Steve Kerr, colocou a equipe pra meditar.

Jon Kabat-Zinn, um novo Darwin ou Einstein

Seus esforços não foram em vão.

Professores da Universidade de Oxford já dizem que John Kabat-Zinn chegou ao patamar de Darwin e Einstein.

Hoje ele dedica agora seus esforços para levar o mindfulness para a esfera global.

Em 2017, falou sobre a atenção plena como forma de agir com mais sabedoria para parlamentares de 15 países em Londres. Mais recentemente, se aproximou de David Simas, ex-assessor da Casa Branca.

Hoje, sente que é sua responsabilidade ensinar pessoas a praticar mindfulness para enfrentar desafios.

E você, já experimentou prestar mais atenção à sua respiração e a observar melhor seu corpo e mente?

Você pode começar, acessando este conteúdo com 10 exercícios fáceis de atenção plena.

Que a inspiração de Jon Kabat-Zinn também possa te fazer mais calmo, relaxado e criativo!

Publicado por Vinicius Aguiari

Eu escrevo sobre assuntos interessantes que farão sua vida melhor. Se conecte comigo!